quinta-feira, 17 de outubro de 2013

só você (pode) sabe(r)

você sabe quando você de fato não sabe porque só assim você consegue sentir que saber transpassa a significância usual pois é daquela forma mais límpida alva clara e disto infere-se que o que se sabe vem de dentro e não se sente por fora apesar de por fora se sentir um pouco também mas a mais visceral cortante animal sensação é aquela que você sabe no seu eu no seu íntimo no mais secreto dos seus palácios e disso você não consegue levar nada a não ser a própria sensação de saber pois ela é tão forte que nutre-se quase por si só dela mesma e faz com que você acorde pela manhã sem importar-se com a noite mal dormida com as dores no corpo com o estresse do pesadelo e também é aquilo que faz com que você levante-se e faça o pior café do mundo e ainda assim fique satisfeito por estar fazendo algo de significância e que durante todo o dia você perceba que nos menores detalhes está aquilo que faz a maior diferença e que você nunca pensou que saber daquela forma traria tanta satisfação e sensações que dinheiro nenhum poderia comprar ou sequer presumir a existência e então quando você sabe o que de fato não sabe e melhor dizendo não compreende é quando você encontra e no momento exato acontece o encontro: e você sabe mesmo não sabendo sabe.

Nenhum comentário: