segunda-feira, 9 de setembro de 2013

reciprosintonia ou sintociprocidade

à sua maneira ela enxergava o mundo. sabia de cor a cor da essência de seu amado. via - às vezes de forma translúcida, outrora de forma compacta - o esboçar o delinear a formação do sentimento dele. dançava com a suntuosidade de seus tons, bem como deliciava-se de forma abrupta com o cessar de seus movimentos e pensares. vez em quando, tinha consciências que se pudesse escolher não teria e, quando em vez, digladiava-se em busca de uma fagulha de saber que parecia de propósito fugir de sua alçada. gostava de ouvir o senso de seu toque & de cobrir sua alma com o cheiro de seu amor. ela amava incondicionalmente. mais adiante, sentia que a reciprocidade andava de mãos dada com sua enfim sintonia. experienciava, à sua maneira de enxergar o mundo, que reconstruía a cada instante o que já por certo tomava o que já por definido vivia o que de fato há muito acreditava: redescobria o que de cor pensava saber e de cores vivia naquele novo (vi)ver.

Nenhum comentário: