domingo, 22 de setembro de 2013

pequena divagação

dizem, às mínguas, que os vetores do que esperar do óbvio e do inesperado são idênticos em tamanho: porém, um positivo, o outro negativo. quem dizem? eu digo. e digo mais: a egolatria pode devorar-te aos poucos, mas de bico em bico, bocado a bocado, comer-te inteiro. por que dizes isso? o porquê não é necessário nunca foi ou alguma vez no futuro será. necessário é somente que se saiba e que a evite. e que se saiba conciliar o que advém do óbvio e do inesperado. e esperar também que às vezes venham frutos dos dois ao mesmo tempo.

Nenhum comentário: