segunda-feira, 8 de julho de 2013

f. e a prontidão para a vida

em meio a mantras & toda a calma deles advinda, f. recobrava-se em consciência. estava prestes a enfim conquistar o que por tanto almejara. e sentia-se mais do que transcendente por conta disso: sentia-se coberto de um brilho irradioso jamais visto enxergado vivido. tomava por certo as últimas decisões de sua vida e galgava suas expectativas em uma forma tranquila, mas real de que as coisas encaminhavam para o bem-comum que ele tanto esperava. tinha vivido seus dias ansiando por aquilo mesmo sem saber  por grafia conceitos ou palpabilidade. vivia por encontrar e agora encontrara. vivera em demasia e agora enxergara que as raízes de sua inquietude finalmente se aquietaram. elas sempre cresceram de forma desordenada, com suas raízes agressivas sobrepondo sobrepujando sobrelevando sua visão do macro & micro. depois de tanto, f. sentia-se pronto para a vida.

Nenhum comentário: