terça-feira, 2 de abril de 2013

naquele dia

naquele dia em que a luz acabou a energia faltou no escuro ele ficou, ele teve certeza de que era do outro que ele precisava. ele sabia que o outro iluminava sua vida de jeito que nenhuma fagulha elétrica nenhum espectro luminoso nada que reluz já havia alguma vez iluminado. o melhor e pior disso tudo é que ele acreditava que outrora já teria vivido de iluminação tão pura & simples. entretanto, quanto mais vivia naquele presente naquele instante naquele momento, mais ele acreditava que aquele agora era diferente. tudo puro & simples & lúcido, talvez os grandes diferenciais, concluía sem pestanejar.

Nenhum comentário: