quinta-feira, 22 de novembro de 2012

questão de

ser
com a fragilidade do minúsculo
com a incerteza da falta de um ponto final.
[…]
dentre devaneios, deliciar-me com quimeras.
do intenso, aproveitar até o efêmero
livrar-se do frágil, sendo forte
para o aceitar. o aceitar-se.
o não reprimir. o verbo ser com um tantão de complementos.
eu sendo, eu tendo. eu com a certeza. com a solidez.
eu. simplesmente eu. e o tempo.


hoje faço 24 anos anos. esse texto foi escrito no dia dezoito de janeiro de dois mil e oito & resgatado por uma de minhas soulmates nesse mundo. apesar de o texto ser meu, foi um presentão. a nostalgia me guiou longe, numa realidade não tão distante. merci, mon amour!

Nenhum comentário: