quarta-feira, 7 de abril de 2010

Cigarros opções & [falta de] confiança.

Quando você começa a fumar, você tem um certo receio de que as pessoas descubram sobre seu vício e se afastem de você, no mais extremo dos casos. Existem várias pessoas que fumam, várias pessoas que detestam cigarros, pessoas que já experimentaram, mas realmente não gostam, e por aí vai. É uma infinidade de possibilidades que temos se fôssemos analisar o cigarro, fumantes e assuntos correlatos. Ora, quando se trata realmente de fumar, você decide: eu vou parar: e pára: ou não. Mas, é uma opção, mesmo se seu vício for um grande vilão e dificultar as coisas. O final, todos sabemos: se você fuma e todos sabem ou descobrem, você continuará fumando ou parará. São somente essas duas opções: mesmo quando você fuma eventualmente: mesmo quando você decide voltar. Se voltou, tá fumando. Se parou, desistiu do cigarro. Tudo muito simples, tentador e, por que não, prazeroso?

Infelizmente, nem tudo na vida funciona com base em escolhas, sejam elas certas ou erradas. Aliás, não sei se existe algo concreto que indique o certo ou errado. Algumas coisas simples são: assim, até meio diretas indelicadas e sem motivos aparentes: são. Falo muito de ser, de tentar, de. Sempre bato nessas teclas, porque as julgo importantes. E não sei mais se o tentar e o ser são realmente as coisas essenciais. Até mesmo porque sem confiança nada disso tem sentido. E as pessoas insistem, sempre, sempre, sempre em deixar de lado este lado contractual da confiança. Quando você confia em alguém ou dá confiança a alguém, você sela um acordo, mesmo que imaginário verbal ou coisa que o valha com esta pessoa. E as pessoas em que eu confio mais parecem fazer uma questão gigante de deixar este acordo de lado, como se ele não tivesse valor algum. Vai ver não tem mesmo.

Outro grande fator que me deixa inquieto é o vocabulário. As pessoas tem uma gama tão gigante de palavras na língua portuguesa e não prestam atenção ao fato de que nem sempre escolhem as melhores palavras para empregar em sentenças fortes. Como disse do cigarro, é sempre uma opção: opção fumar: opção deixar de fumar. Somente as duas. Quando a gente opta por algo é por perceber que este algo é melhor ou que este algo nos agrada mais. Simples, bem simples. E quando é algo que você não opta?

Certamente tudo tem um significado para um crescimento maior. Até.

Um comentário:

mariana balan disse...

adorei o post, lucas! do cigarro a confiança. muito bom.
(até porque tudo isso me "encuca" também)

beijocas.