quinta-feira, 28 de maio de 2009

ELEPHANT

Responder aos tudo bem? que recebo diariamente se tornou algo mecânico porque não não está tudo bem e não você nada entenderia se fosse explicar a confusão toda a confusão a desordem e você pediria clamaria imploraria por um tudo bem e você? Tudo bem sim, e você? E também na maior das cumplicidades você viria com um também estou bem e não mais nisso tocaríamos pois sabemos que a complexidade esta loucura comedida que está presente em cada mente humana existe sempre existira e sempre existirá por mais que queiramos que as coisas sejam diferentes porque o ser humano é igual por mais que tentemos ser diferentes ou tentemos mudar ou tentemos entende? é, eu imaginei mesmo que você não me entenderia mas poderia pelo menos fazer um último favor por favor eu te peço de antemão? olha pra mim enquanto falo contigo porque uma coisa que não aguento é falar com uma pessoa ter este contato direto e a pessoa não prestar atenção em mim nos sinais que involuntariamente possa vir a dar com o rosto o corpo e vê se mete na tua cabeça que quem eu quero é você e que tudo que eu sinto é muito maior do que eu já sentira e que eu tenho medo medo mesmo medo este fora do comum apesar de soar clichê e exagerado e até um ponto redundante porque só temos medo de algo por ser fora do comum, não é mesmo? e você desviou o olhar de mim novamente não consigo, assim não dá eu não consigo por mais que eu tente tente. Eu volto à pergunta inicial enquanto você me dá as costas e eu digo que vai tudo ficar bem e você não acredita simplesmente andando para longe de mim onde cada um dos passos que você dá sinto como se uma faca me atingisse e eu me perco no meio de tanta dor no meio de tanta ferida aberta e me recorro ao céu ao cinza do seu céu do nosso céu, entende, e com esta coisa sem vida condescendo tenho sou, olhe para mim, mais uma vez, pode ser? só escuta o que eu quero te dizer, tudo bem? Que bom, fico feliz em ouvir isso. Eu também estou bem muito bem e obrigado por perguntar.

Um comentário:

Daniela Dias Ortega disse...

Lucas, é o que eu tenho vontade de falar às vezes, algumas coisas que você escreveu, pra algumas pessoas.
Me senti tão eu lendo esse texto. Adoro a liberdade.