terça-feira, 24 de março de 2009

HOW TO DISAPPEAR COMPLETELY?

Ando me sentindo prolixo. Ou aceitando o que talvez sempre fui. Sei que tô meio assustado. Quanto a alguns bons fatores. Preciso fazer andar algumas coisas na minha vida, senão entro em parafuso. De vez em quando sinto como se os esforços não valessem a pena. Como se tudo fosse inútil. E daí olho pra frente e vejo quanto caminho ainda tenho a percorrer. E isso dá uma angústia. Dá uma grande angústia. Principalmente porque a gente sempre encontra quem nos derruba, mas quem ajuda a nos (re)erguer é bem mais difícil. Canso de dizer isso, mas a vida poderia ser sim mais fácil de vez em quando, apesar de já ter dito o inverso algumas boas vezes. Tenho muito medo do não dito. E do não feito. E do mal feito. E do mal dito. Mas até que o medo de viver vai passando. E algumas pessoas nos dão combustível pra isso. Pra ter a coragem de colocar a cabeça pra frente e se provar que existem coisas mais importantes pra se preocupar do que certas coisas. Queria que esses pensamentos não tivessem em minha mente. Você saberia do que eu digo a partir de títulos de músicas como este "How to disappear completely", de uma certa banda inglesa aí. Que aliás fui ao show neste domingo graças à uma das pessoas mais especiais da minha vida. Senti-me de uma forma muito boa, como não me sentia há muito tempo. Graças à ela. Graças ao que ela fez por mim. Graças ao que ela me proporcionou. Revi gente, conheci algumas pessoalmente. E vamos que vamos. Espero que as coisas melhorem daqui pra frente.


Um comentário:

starf***er disse...

fico tão feliz de ler isso.
sabe aquela sensação de trabalho feito? bem por aí.
mas relaxa que não vou te transformar num impulsivo inconsequente ;)
just wanted to feel a little bit like clementine and joel. you know?

e eu sempre comento nos posts quando eles já são velhos. nem sei se você lê. enfim, lê?

aquele abraço que ficou faltando