sábado, 21 de fevereiro de 2009

SILÊNCIO FABRICADO

Todas as palavras ditas e o momento que se segue após àquelas que soam praticamente letais dão luz ao silêncio fabricado. O silêncio natural, como o forte clarão do luar e das estrelas em meio a um campo, perto de uma montanha, de nada disso necessita pra existir. Agora o silêncio fabricado não. O silêncio fabricado só existe quando a mágoa é semeada o ódio disseminado a raiva liberada. E então as partes envolvidas deixam que o silêncio fale mais por elas, faz a concórdia acontecer. Tenta fazer as pazes no mudo e ensurdecedor pós. O mais difícil dessa batalha entre o produzir do silêncio fabricado são as cicatrizes deixadas. E as palavras não-ditas. E os pensamentos originados, a mudança.
O clarão do luar, as estrelas, o luar... Não que produzam sons, mas para se enxergar tais belezas necessário faz-se estar num lugar totalmente isolado. Não enxergar a artificialidade que a maioria das pessoas vê nas cidades. Mas enxergar o verdadeiro, o genuíno. Para isso precisa-se estar em contato com um outro tipo de universo. E neste universo o silêncio verdadeiro é parte essencial. Tudo é conectado. Cada estrela morta em sua máxima pulsação e brilho, seus feixes de luz, os raios solares refletidos na Lua. Tudo.
Desculpa-me pelo exagero ao falar tanto de silêncio, luz e genuidade. Apesar das grandes certezas que enxergamos na vida, nem sempre dependemos somente de nós mesmos para fazê-las reais, torná-las verdades em si em nossas vidas. Como a palavra dita, essas certezas precisam de força. Talvez, apesar da enorme vontade... É, talvez.

2 comentários:

T. Berkowitz disse...

amor!!
não sei se estou lesada demais ou o texto é meio confusinho .... u.u meio que me perdi e me senti meio loser por não entender muito bem. ew.

ah...
a kk fez livejournal tambem amor:
http://x-lelou-x.livejournal.com/

só pra avisar!
te amo demais.
estou com saudades, porque voce nao esta entrando no msn???

<3

DANILO NOVAIS disse...

Confuso, me perdi tbm! rs


Mas gostei do tom, acho que entendi pelo menos a essência do mesmo!