sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

FELIZ ANO NOVO (antes tardio...)

Escrito em 31/12/2008
Ele enxergava tudo tranqüilo de onde observava. O traje branco que usava representava o intuito de um desejo de paz. Todos ali usavam branco. Era Ano Novo. Um misto de desejos e esperanças se renovando. Hipocrisia e falsidade se misturando. A mentira devorando o momento com suas fantasias de poder. Poder. Tudo resumido em uma só palavra. Esperava-se sempre o máximo daquele ano que estava por chegar. E ele não era um deles. Assistia a tudo com um sorriso sarcástico no rosto. Sua companheira ainda tentava uma última vez arrastá-lo para a comemoração que dali enxergavam. Habitavam uma pequena cabana na praia. Ao seu redor água e areia branca. Vamos para lá, Fauso, vamos, dizia ela puxando-o pela mão. Deixe de bobeira, Rita, sabes que isso tudo não se passa de mais uma festinha onde a falsidade reina solta. Ah! vamos, Fauso, por favor, disse ela já desistindo e se sentando ao lado dele. Rita, preparei algo para nós, o quê?, perguntou logo ela, a nossa morte disse ele já ouvindo outro o quê? acompanhado de um Ficastes louco Fauso? Rita, meu anjo, não fiquei louco não, estou apenas querendo nos privar dessa falsidade louca descomedida deste mundo sujo, respondeu ele sorrindo. Levantou-se e disse que ia se deitar, beijando-a na testa. Ela ainda admirara a paisagem por alguns segundos. Já era Ano Novo e a vida nova, ah, a vida nova. A vida nova estava sempre recomeçando, sempre firmada nos ideais mais livres que acreditavam. Dormiram juntos, serenos, tranqüilos. Agora de longe tudo os observavam. A bebedeira, as festas, as pessoas e seus diversos sentimentos. Observavam aquele lugar rodeado de água e areia branca descansando num nunca visto instante de vida renovada.

4 comentários:

Ana Luiza disse...

Oi Lucas,
Nossa, faz muito tempo que não conversamos mesmo (e acho que um zilhão de anos que não venho aqui, porque fiquei completamente perdida em meio a tantos posts! haeuhea). Você continua escrevendo maravilhosamente bem ;) Pena que não seremos mais colegas de trabalho no jornalismo, né? aehuaeh
Beijo, querido!

Eder Juno disse...

simulacro, realmente o entende?

Eder Juno disse...

Apenas procurando pessoas que possam o entender... poderia me explicar? você não se interessa por outros que possam entender?

T. Berkowitz disse...

que texto maravilhoso!!! ele passa uma realidade incrivel.

eu li esse texto,faz tempinho.... mas antes eu pensava que não tinha como eu comentar ._.

<3