segunda-feira, 3 de novembro de 2008

NOVOS DEVANEIOS?

Quando acordei percebi que estava diferente. Aliás, o normal estava um pouco diferente. Não sentia sono, incomum à minha realidade matinal. Não sentia fome, não sentia sede. Sentia saudades e falta. Falta de poder realmente ser. Disse que 'tava beirando a loucura no post anterior. Mas não sei. É uma coisa mais interna. Acho que já estou devaneando. A loucura é uma coisa interna, acontece na mente. 'Tá, eu sei. Mas o que eu quero dizer é que tô realmente cansado. Cansado. Acho que essa é a minha melhor definição atualmente. O cansaço tá me acometendo de tantas maneiras. O prazer de escrever existe dentro de mim, mas a vontade de sentar com meu caderno ou mesmo em frente ao computador e pensar 'tá faltando. E isso me remete ao que senti pela manhã hoje. Falta. Falta de muita coisa. Muitas pessoas. E as saudades. Tão bem explicadas por Lispector. Entendidas por Saramago. Sentidas pelos anônimos. E por eles, claro. Acho que preciso realmente de férias. A única coisa que sei é que 'tô num ritmo interno mais frenético do que o normal. Sinto que estou a ponto de estourar e infelizmente isso pode acontecer com quem eu menos espero. Eu sempre sôo bem louco, desordenado. Mas acho que quem me conhece sabe que é bem assim. Me lendo até digo que pareço aqueles adolescentes com/em crise de identidade, blá, blá, blá. Mas não é isso. Não tenho confusão quanto a esse tipo de coisa. Tenho mais confusão com o desenvolvimento da relação do meu eu interior com o meu mundo exterior. É, eu não disse que seria fácil entender. Enfim. Trabalhos e mais trabalhos pra fazer, deixa-me voltar a eles.

Um comentário:

Sylvia Bolena disse...

"É fase" a grande desculpa da vida para não querer enxergar o que simplesmente não irá passar... é realmente deprimente quando as pessoas nos julgam com um cliche desses! :]

sabe o que é hilário? li o texto, gostei, mas não ia comentar, porque achei que voce não iria gostar do meu blog hahahaha