quinta-feira, 3 de julho de 2008

FÉRIAS E ANINHA II

Primeiro dia de férias, acordei às 10h39, tô ouvindo música desde então, vagueando pela internet (no momento profile do last.fm, orkut.com e twitter.com abertos). Esperando meus pais chegarem. Também tô com algumas preocupações dentro de mim, coisas pessoais que infelizmente não deixam de ter minha atenção por um só segundo desde que conseguiram entrar na minha mente. Tô ansioso pra ir embora daqui de Brasília logo, ir pra Jataí, mas só quero mesmo ir pra lá por causa de alguns primos e de poucos amigos. Paz, eu quero paz (HERMANOS, Los. A Outra). E pertence aos Hermanos as palavras que eu queria dirigir pra duas pessoas da minha vida: nada vai mudar entre nós. Como eu sei? Eu só sei. Tudo vai permanecer igual, afinal, não há nada a fazer. Eu não nego, eu me entrego, vocês são meu grande amor, e hoje eu vou dizer "eu amo vocês". (Mais Uma Canção).

Daqui uns dias eu volto aqui com algo que venho escrevendo, mas tenho preguiça de passar pro computador. Os dias estão passando bem, fora este pequeno ensejo que insiste em perdurar em meus pensamentos. Tenho lido Caio Fernando Abreu, Anne Rice (riam!) e claro, Lispector. Todos me deixam com a mente melhor. Tenho assistido bastante filme e seriado. Os últimos foram: Pulp Fiction, Le Fabuleux Destin D'Amélie Poulain, Pushing Daisies e Weeds.

Acho que vou trocar o layout do blog no máximo até a próxima postagem!

Ah, tenho um recado da Aninha: "Olá,
consegui deixar o cigarro de lado faz quase uma semana - na verdade faz cinco dias, mas, já é definitivamente bom. Tenho andado bem feliz, coincidentemente assistindo filmes e lendo vários livros. Ontem eu estava dançando Sonic Youth e me sentindo Uma Thurman, não sei porque. Talvez seja pelo meu novo corte de cabelo (o mesmo que ela usou em Pulp Fiction), talvez seja somente pela personalidade que ela imprime em seus personagens. Agora deixa eu ir ali porque eu quero pensar em outras coisas mais. Beijos, Aninha."

Um comentário:

Maicom disse...

Amo Los Hermanos,fã msm; mas, isso vc não quer saber (não é verdade? Rs.).
Pois bem, boa sorte aí. Às vezes, tudo fica assim msm, confuso e complexo. Talvez, 'nossa' ansiedade torna o 'tudo' mais complicado, mais angustiante.

Abração.