domingo, 9 de março de 2008

TOXIC GIRL

Repulsa, ânsia, nojo, arrependimento. Tudo provocado por uma crise de consciência, por uma série de auto-repreensões. Felizmente só a mim estava exposta a cena. Vivida e revivida por algumas centenas de vezes. Antes, durante e depois. E depois. E um pouco mais depois ainda. Repetindo. Repetida. E mais ânsia, nojo. Repulsa. Como pudera? Não serei explícito não. Só estava precisando colocar um pouco pra fora. Se lessem ou vissem algum milésimo de instante do que falo, com certeza não suportariam a imensa dúvida sobre mim. Pequei: contra mim. Contra eu, meus eus, meu mim. Meu pequeno íntimo. Tão simples e complexo íntimo. Mas, o pior passou. E a ferida está secando. Com sorte, a cicatriz será mínima. Assim acredito.