quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

MAIS UM FRAGMENTO

Hoje o céu despertou mais vivo. Fiquei estonteado pela abundância de cores. Eram infinitos tons de azuis misturados com claros tons de rosa e amarelo. As formas eram tantas. Que leveza. Que beleza. Velei o instante por alguns bons minutos. Mas eu não olhava somente o céu e seu inigualável chamativo. Eu olhava através de minha vida. Enxergava claramente meus erros, pois ofuscavam os frágeis acertos. Olhava o que almejo, o que passou e o que estou vivendo. Por uma fração de segundo quis ser o céu. Quis irradiar tais cores. Possuir tais formas e beleza. Mas lembrei-me de que o céu abriga também uma escuridão infinita. [...]

3 comentários:

Joana disse...

Pensar que os erros são insignificantes diante dos acertos é viver em um poço sem saída e afundar aos poucos.
Pensar no presente, esquecer o que passou e enxergar o futuro apenas como algo que não deve ser minusiosamente calculado, é uma atitude sábia.

m. saldanha disse...

queria ser a personagem que está presente na grama sob esse dia maravilhoso, bem que estava precisando. por aqui são todos iguais. sol nasce ao leste e se põe ao oeste todos os dias sem direito a final de semana ou feriado, é sempre a mesma coisa: chato, quente, monótono. essa situação é preocupante.

x mah disse...

eu sempre quis ser o sol. tão grande e brilhante, que ve tudo, que ilumina tudo, que prepotencia a minha...
nao vim aqui por alguns dias mais li todos os posts que eu perdi, e como sempre sem o que comentar deles.